quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Ser padrão.

  Último dia de aula e a principal notícia do dia : NÃO PRECISA UNIFORME MAMÃE!!!
Que alegria poder se vestir de "si mesmo". Escolher algo que diferencia dos amigos. Cor preferida, modelo querido, sapato brilhante e batom ! O quanto minhas filhas adoram escolher roupas, selecionar modelos é indescritível. Sempre que se abre o guarda-roupas um evento de moda começa. Cada uma tem estilo próprio, difícil influenciar suas escolhas. Não se importam com padrão de moda, combinação de cores, temperatura ou opinião alheia.
Eu me questiono, em que fase perdemos essa certeza do que gostamos. Qual é a idade que nos deixamos influenciar pela mídia e pelas pessoas que nos cercam? Se é tão gostoso vestir, ouvir, dançar, ser o que queremos, porque nos deixamos padronizar por uma idealização que nem concordamos? Se queremos nos destacar, porque precisamos ser tão iguais? Ser diferente é ser revolucionário? Não aceitar padrões é ser louco ou autêntico ? Virou hábito rotular e quando não achamos rótulo é revolucionário. Isso já vai pra outro assunto né!
   Sou a favor do uso de uniforme para ir a escola. O fato preocupante é anular os próprios desejos para se vestir como a maioria ou como manda a novela! Gosto de diferenças,de novidade e tudo que estimula a criatividade. Gosto mais ainda de ver minhas filhas com ideias próprias.